sábado, 22 de outubro de 2016

Pó de estrelas.


Olhar o céu, procurar estrelas, adivinhar-lhes o pensamento...

Há momentos, acho que na vida de todos nós, em que um cansaço generalizado da alma nos invade. Suavemente, instala-se uma espécie de tristeza fininha, que contagia tudo à nossa volta.
E o mundo, esse espaço que vamos colorindo como livro de criança, reveste-se de cores sombrias e imagens indefinidas.

Fazemos então um movimento de cabeça ascendente, fixamos o infinito, respiramos fundo e os nossos olhos vagueiam naquela imensidão de azul a que chamamos céu.

É nessas alturas que sorrio para dentro, como se tivesse descoberto a sabedoria do mundo, e fico a acreditar, que a  alma é constituída por uma massa de céu e pó de estrelas.


Nota: Imagem retirada do Pinterest

 














Sem comentários:

Enviar um comentário